Quarta-feira, Abril 17, 2024
MediaOpção Turismo

“Recursos naturais devem ser vistos como um activo turístico”

Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo
Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo

Os sectores do Ambiente e do Turismo não comunicam entre si. Ou comunicam deficientemente. Essa foi a conclusão dada por Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, ontem, na conferência “Consumo Sustentável – O Poder do Consumidor”.

Para o SET os recursos naturais só têm sentido se forem encarados como um activo turístico. Como um instrumento de captar e potenciar o turismo. Conseguindo atrair turistas e gerar receitas, depois usadas na sua preservação e manutenção. Tendo ambas as áreas tanto a ganhar quando trabalhadas em conjunto pare incrível, segundo Adolfo Mesquita Nunes, que andem tantas vezes de “costas voltadas”. A questão deve-se a um mútuo desconhecimento, a uma falta de comunicação, de ambas as partes. “É preciso que os dois sectores comuniquem melhor e que encontrem um espaço de acção conjunta”, constatou o SET.

O secretário de Estado relembrou que, nos últimos anos, o turismo natureza ou relacionado com actividades ao ar livre tem vindo a crescer. E que a procura verificada indica a existência de negócio. E o país já se apercebeu dessa tendência. Quer no privado, com várias iniciativas que surgiram, quer no Governo. “Portugal definiu a sustentabilidade como base das suas políticas de turismo”, referiu Adolfo Mesquita Nunes, que acrescentou que “nos próximos anos vamos dar preferência à eficiência energética e ao uso racional da água”.

O SET afirmou ainda que o turismo foi o sector que mais contribuiu para que Portugal saísse da recessão e para o equilibro da balança de pagamentos, que no ano passado o país recebeu 14 milhões de turistas e que “estamos a crescer acima da média mundial, europeia e europeia mediterrânica”. E convém não esquecer que “o turismo é responsável pelo renascer de diversos produtos artesanais”.

Artigo publicado no Opção Turismo, a 18 de Junho de 2014.

Alexandra Costa

Jornalista desde 1996. Adoro viajar, conhecer novas culturas, experimentar gastronomias. Sou viciada em livros e nunca digo que não a uma boa conversa e amo a minha Luna. Defendo que mais vale poucos (e muito bons) amigos do que milhentos conhecidos. E prefiro ver o “copo meio cheio” em detrimento do “copo meio vazio”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *