Quinta-feira, Junho 13, 2024
CinemaCulturaMediaUncategorized

O cinema de Natal já não é a mesma coisa

pinguins madagáscarHoje é dia de saudosismo. De recordar outras eras. Em que as crianças (e adultos) ficavam ansiosos à espera da época natalícia porque era certinho que iriam estrear muitos e bons filmes de animação.

Hoje já não é bem assim. Veja-se este ano. Há filmes. Bons filmes. Há filmes de animação. Mas em minoria.

É certo que hoje em dia uma família de quatro (dois adultos e duas crianças) paga uma verdadeira fortuna para ir ao cinema. Mas mesmo assim….

Dito isto, em cartaz estão Os Pinguins de Madagáscar e o Big Hero 6 – os novos heróis. A estrear, mas só em Janeiro, vai estar a Abelha Maia. Ou seja… vai ser penar e bem penar por um bom filme de animação. Ou então ir ao velhinho clube de vídeo, ok, ok, ao equivalente moderno do velhinho clube de vídeo e seleccionar um filme, já antigo, mas que ainda não se tenha visto.

hobbit3-1exodusFora isso, estão em cartaz alguns filmes, cabeças de cartaz, que também são um bom chamariz. É o caso de “O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos”. Para os fãs de Tolkien (como eu) e da saga do Senhor dos Anéis é um filme a não perder. Mas apenas se viram os anteriores, dado que este é a conclusão de uma trilogia.

Um quase-obrigatório-filme-da-quadra-natalícia é a história de Moisés. Este ano representado por Christian Bale. Do realizador Ridley Scott pode esperar efeitos especiais e muita acção. Mas a mesma história.

Os Pinguins de Madagáscar

[youtube=http://youtu.be/JLsRKQSbySc]

Big Hero 6 – Os Novos Heróis

[youtube=http://youtu.be/SAcYa6Yb6tQ]

Exodus: Deuses e Reis

[youtube=http://youtu.be/3QXhXwvwk5s]

O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos

[youtube=http://youtu.be/dmDs1yLaKFQ]

Alexandra Costa

Jornalista desde 1996. Adoro viajar, conhecer novas culturas, experimentar gastronomias. Sou viciada em livros e nunca digo que não a uma boa conversa e amo a minha Luna. Defendo que mais vale poucos (e muito bons) amigos do que milhentos conhecidos. E prefiro ver o “copo meio cheio” em detrimento do “copo meio vazio”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *